sao luis / MA - domingo, 10 de dezembro de 2017

Teste TDAH

Leia essa lista de comportamentos e classifique-se em cada comportamento catalogado. Use a escala e coloque o número apropriado ao lado do item.
         
0 = nunca
1 = raramente
2 = ocasionalmente
3 = freqüentemente
4 = muito freqüentemente
 
___1. Incapacidade de prestar atenção a detalhes
          ou evitar erros por falta de cuidado.
___2. Problema em manter a atenção em situações
          de rotina (dever de casa, tarefas,papelada, etc.).
___3. Dificuldade em ouvir.
___4. Incapacidade de terminar coisas, seguimento
          insuficiente.
___5. Falha na organização de tempo e espaço.
___6. Distração. 
___7. Pouca habilidade de planejamento.
___8. Falta de objetivos definidos ou de pensar no futuro.
___9. Dificuldade em expressar os sentimentos.
___10. Dificuldade em expressar solidariedade pelos outros
___11. Excessivo sonhar acordado
___12. Tédio
___13. Apatia ou falta de motivação
___14. Letargia
___15. Sentimento de vazio de estar "em uma neblina"
___16. Desassossego ou dificuldade de ficar parado
___17. Dificuldade de permanecer sentado em situações em que se espera que a pessoa fique sentada
___18. Busca de conflito
___19. Falar demais ou de menos
___20. Dar rápido a resposta, antes de as
            perguntas terem sido completadas.
___21. Dificuldade em esperar sua vez
___22. Interrupção dos outros ou intromissão
(por exemplo: meter-se em conversas ou jogos)
___23. Impulsividade (dizer ou fazer coisas sem pensar antes)
___24. Dificuldade de aprender pela experiência,
            tendência para cometer erros repetitivos.


Avaliação

          Cinco ou mais sintomas com a nota 3 ou 4 é indicativo de possível hiperatividade. Porém, apenas através de uma consulta com um profissional chegar-se-á a um diagnóstico e consequente prognóstico.

Faça mais um teste, apresentado no site da Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA).

Ao visitar o site da ABDA, no final da lateral esquerda deste site, você encontrará indicações de profissionais que atuam com hiperatividade e déficit de atenção em todo o Brasil, inclusive profissionais que atendem na rede pública.

IMPORTANTE: Lembre-se que o diagnóstico definitivo só pode ser fornecido por um profissional.
Por favor, responda as perguntas abaixo se avaliando de acordo com os critérios do lado direito da página. Após responder cada uma das perguntas, circule o número que corresponde a como você se sentiu e se comportou nos últimos seis meses.
          
1. Com que freqüência você comete erros por falta de atenção quando tem de trabalhar num projeto chato ou difícil?         
2. Com que freqüência você tem dificuldade para manter a atenção quando está fazendo um trabalho chato ou repetitivo?         
3. Com que freqüência você tem dificuldade para se concentrar no que as pessoas dizem, mesmo quando elas estão falando diretamente com você?          
4. Com que freqüência você deixa um projeto pela metade depois de já ter feito as partes mais difíceis?         
5. Com que freqüência você tem dificuldade para fazer um trabalho que exige organização?         
6. Quando você precisa fazer algo que exige muita concentração, com que freqüência você evita ou adia o início?         
7. Com que freqüência você coloca as coisas fora do lugar ou tem de dificuldade de encontrar as coisas em casa ou no trabalho?         
8. Com que freqüência você se distrai com atividades ou barulho a sua volta?          
9. Com que freqüência você tem dificuldade para lembrar de compromissos ou obrigações?         
Parte A
1. Com que freqüência você fica se mexendo na cadeira ou balançando as mãos ou os pés quando precisa ficar sentado (a) por muito tempo?         
2. Com que freqüência você se levanta da cadeira em reuniões ou em outras situações onde deveria ficar sentado (a)?          
3. Com que freqüência você se sente inquieto (a) ou agitado (a)?         
4. Com que freqüência você tem dificuldade para sossegar e relaxar quando tem tempo livre para você?          
5. Com que freqüência você se sente ativo (a) demais e necessitando fazer coisas, como se estivesse “com um motor ligado”?         
6. Com que freqüência você se pega falando demais em situações sociais?         
7. Quando você está conversando, com que freqüência você se pega terminando as frases das pessoas antes delas?          
8. Com que freqüência você tem dificuldade para esperar nas situações onde cada um tem a sua vez?          
9. Com que freqüência você interrompe os outros quando eles estão ocupados?         
Parte B

Como avaliar:
Se os itens de desatenção da parte A (1 a 9) E/OU os itens de hiperatividade-impulsividade da parte B (1 a 9) têm várias respostas marcadas como FREQUENTEMENTE ou MUITO FREQUENTEMENTE existe chances de ser portador de TDAH (pelo menos 4 em cada uma das partes).
O questionário ASRS-18 é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A) para se fazer o diagnóstico. Existem outros critérios que também são necessários.
IMPORTANTE: Não se pode fazer o diagnóstico de TDAH apenas com os sintomas descritos na tabela! Veja abaixo os demais critérios.
CRITÉRIO A: Sintomas (vistos na tabela acima)
CRITÉRIO B: Alguns desses sintomas devem estar presentes desde precocemente (antes dos 7 ou 12 anos).
CRITÉRIO C: Existem problemas causados pelos sintomas acima em pelo menos 2 contextos diferentes (por ex., no trabalho, na vida social, na faculdade e no relacionamento conjugal ou familiar).
CRITÉRIO D: Há problemas evidentes por conta dos sintomas.
CRITÉRIO E: Se existe um outro problema (tal como depressão, deficiência mental, psicose, etc.), os sintomas não podem ser atribuídos exclusivamente a ele.

Crianças e Adolescentes

O questionário abaixo é denominado SNAP-IV e foi construído a partir dos sintomas do Manual de Diagnóstico e Estatística - IV Edição (DSM-IV) da Associação Americana de Psiquiátrica. Você também pode imprimir e levar para o professor preencher na escola. Esta é a tradução validada pelo GEDA – Grupo de Estudos do Déficit de Atenção da UFRJ e pelo Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência da UFRGS.

IMPORTANTE: Lembre-se que o diagnóstico definitivo só pode ser fornecido por um profissional.

Para cada item, escolha a coluna que melhor descreve o(a) aluno(a) (MARQUE UM X):
  Nem um pouco Só um pouco Bastante Demais
1. Não consegue prestar muita atenção a detalhes ou comete erros por descuido nos trabalhos da escola ou tarefas.       
2. Tem dificuldade de manter a atenção em tarefas ou atividades de lazer       
3. Parece não estar ouvindo quando se fala diretamente com ele       
4. Não segue instruções até o fim e não termina deveres de escola, tarefas ou obrigações.       
5. Tem dificuldade para organizar tarefas e atividades       
6. Evita, não gosta ou se envolve contra a vontade em tarefas que exigem esforço mental prolongado.       
7. Perde coisas necessárias para atividades (p. ex: brinquedos, deveres da escola, lápis ou livros).       
8. Distrai-se com estímulos externos       
9. É esquecido em atividades do dia-a-dia       
10. Mexe com as mãos ou os pés ou se remexe na cadeira       
11. Sai do lugar na sala de aula ou em outras situações em que se espera que fique sentado       
12. Corre de um lado para outro ou sobe demais nas coisas em situações em que isto é inapropriado       
13. Tem dificuldade em brincar ou envolver-se em atividades de lazer de forma calma       
14. Não pára ou freqüentemente está a “mil por hora”.       
15. Fala em excesso.       
16. Responde as perguntas de forma precipitada antes delas terem sido terminadas       
17. Tem dificuldade de esperar sua vez       
18. Interrompe os outros ou se intromete (p.ex. mete-se nas conversas / jogos).       
        
Como avaliar:

1) se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 1 a 9 = existem mais sintomas de desatenção que o esperado numa criança ou adolescente.

2) se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 10 a 18 = existem mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que o esperado numa criança ou adolescente.
O questionário SNAP-IV é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A) para se fazer o diagnóstico. Existem outros critérios que também são necessários.

IMPORTANTE: Não se pode fazer o diagnóstico de TDAH apenas com o critério A! Veja abaixo os demais critérios.
CRITÉRIO A: Sintomas (vistos acima)

CRITÉRIO B: Alguns desses sintomas devem estar presentes antes dos 7 anos de idade.

CRITÉRIO C: Existem problemas causados pelos sintomas acima em pelo menos 2 contextos diferentes (por ex., na escola, no trabalho, na vida social e em casa).

CRITÉRIO D: Há problemas evidentes na vida escolar, social ou familiar por conta dos sintomas.

CRITÉRIO E: Se existe um outro problema (tal como depressão, deficiência mental, psicose, etc.), os sintomas não podem ser atribuídos exclusivamente a ele.
   
Alguns adultos tiveram TDAH na infância e ainda tem alguns sintomas na vida adulta, porém em menor quantidade e sem o CRITÉRIO C ou D (isto é, não existem muitos problemas causados pelos sintomas e quando ocorrem eles aparecem apenas em uma única situação, como o trabalho, por exemplo, mas não em nenhuma outra)
O diagnóstico de TDAH é feito com base nos sintomas clínicos relatados pelo indivíduo ou pelos pais e interpretado por um especialista. O Eletroencefalograma, o Mapeamento Cerebral, a Tomografia Computadorizada, a Ressonância Magnética e o Potencial Evocado não podem fornecer este diagnóstico!